Crédito

Empréstimo para funcionário público: garantias que compensam

empréstimo para funcionário público
: o Portal do Crédito não publica artigos patrocinados. O nosso conteúdo é independente e não favorece nenhuma entidade em particular.

Em Portugal, o empréstimo para funcionário público não é propriamente uma tipologia de crédito, isto é, não há uma modalidade de crédito específica para a Função Pública. Há, contudo, atenuantes no processo.


Simulador de Crédito

Simule sem compromissos e conheça a melhor solução de crédito para o seu pedido.

» SIMULAR AGORA

Os funcionários do Estado acedem a crédito exatamente nas mesmas condições do que qualquer outro cidadão. A única diferença, porém, é que a aprovação do crédito não fica tão dependente da verificação de garantias, uma vez que o rendimento fixo e a estabilidade remuneratória dão alguma tranquilidade aos bancos.

Como funciona o empréstimo para funcionário público?

Seja para contratar crédito habitação, crédito automóvel, pessoal ou mesmo crédito consolidado, todos os cidadãos que queiram ver o crédito aprovado precisam de apresentar garantias ao banco.

Como sabemos, a banca não empresta dinheiro a quem não tem forma de provar que o pode reembolsar. O empréstimo para funcionário público não é, de todo, exceção.

Em relação aos trabalhadores independentes e a alguns trabalhadores do setor privado, os funcionários públicos têm a vantagem de reunir um conjunto de condições muito favoráveis para a aprovação do crédito, entre elas a estabilidade dos contratos de trabalho e o facto de, por norma, terem ordenados superiores aos praticados no setor privado.

homem a escolher crédito pessoal

Entrar na Função Pública não é, de todo, um processo simples. Mas, uma vez lá, a estabilidade é maior. Isto, claro, para a grande maioria. Um dos exemplos dessa estabilidade é que um funcionário do Estado muito dificilmente será despedido no decorrer do seu contrato. Já no setor privado, esta questão em particular é difícil de prever, uma vez que os trabalhadores podem ser dispensados em qualquer altura.

O que é considerado antes da concessão de um empréstimo para funcionário público?

Antes de decidir conceder crédito, os bancos fazem uma avaliação detalhada do perfil financeiro do cliente. Nessa análise são tidos em conta diversos fatores, nomeadamente:

1. A reputação do cliente no mercado do crédito

A sua reputação no mercado do crédito é um dos critérios que o banco vai considerar antes de lhe emprestar dinheiro. E o mesmo se aplica ao empréstimo para funcionário público.

Ou seja, é ou não um cliente de risco? Tem um historial de crédito limpo? Para analisar a sua reputação, o banco recorrerá à base de dados da Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) do Banco de Portugal – commumente denominada de “lista negra” – para verificar se tem registos de incumprimento ou de atrasos no pagamento de dívidas.

Se o seu Mapa de Responsabilidades de Crédito estiver, digamos assim, “manchado”, é praticamente certo que banco vai pensar duas vezes antes de lhe conceder o crédito.

2. O valor do património

Outros dos critérios a analisar será o valor do seu património. Isto é, as garantias que dará como contrapartida ao empréstimo. Este valor é uma forma de o banco perceber se vai conseguir recuperar o valor em dívida caso deixe de cumprir com as suas obrigações.

3. A taxa de esforço

A taxa de esforço é outra das questões que vai ser esmiuçada. Tem liquidez mensal suficiente para suportar os encargos com o crédito?

Recordamos que a taxa de esforço mostra qual é o peso percentual dos encargos com créditos no seu orçamento mensal. Esta taxa calcula-se fazendo a divisão das prestações dos créditos pelo rendimento mensal de quem contrai o crédito. Para que as suas finanças sejam consideradas saudáveis, é preciso que a taxa de esforço não ultrapasse, no máximo, 40% do seu rendimento global.

Apesar de as boas práticas indicarem que a taxa de esforço simples não deverá ser superior a 30%, alguns bancos podem aceitar perfis até 40%.

4. Estabilidade de rendimentos

Outra dos fatores essenciais analisados pelos bancos é a sua capacidade de gerir o dinheiro. Isto é, a estabilidade no emprego, o cargo que ocupa no seu trabalho ou mesmo o nível de escolaridade.

Neste ponto, o processo de empréstimo ao funcionário público é simplificado, pois, como referimos, os funcionários do Estado dão alguma segurança à banca.

Atenção aos riscos associados ao incumprimento

Independentemente de se tratar um empréstimo para funcionário público ou não, antes de contratar um crédito, pondere bem os prós e os contras. Recordamos que, se por qualquer razão, deixar de pagar o que deve, corre o risco de lhe serem penhorados bens imóveis, móveis e até de ser alvo de penhora de direitos.

Por exemplo, tem uma dívida ao banco do crédito habitação que não paga há mais de seis meses. A partir deste prazo, a Lei prevê que o credor recorra à via judicial para saldar a dívida, dando início a um processo de cobrança coerciva.

calcular crédito

Além de correr o risco de ficar sem a casa, poderá ver outros bens confiscados, nomeadamente:

  • O vencimento;
  • Reembolso do IRS;
  • Contas bancárias;
  • Produtos financeiros;
  • Imóveis
  • Terrenos;
  • Joias, obras de arte, eletrodomésticos, roupa, entre outros bens.
  • Carros;
  • Ações e participações em empresas.

Numa situação limite, a sua única solução poderá até ser a de declarar insolvência pessoal – vista como o último recurso das pessoas sobreendividadas. Recordamos que “abrir falência” tem consequências graves para a sua vida e deve ser uma decisão a evitar.

De acordo com o Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas (CIRE), que também prevê procedimentos específicos para pessoas singulares, todos os bens da pessoa insolvente são apreendidos e vendidos com o objetivo de amortizar as dívidas contraídas junto dos credores.

Isto tudo para dizer que, mesmo perante uma maior facilidade de obter um empréstimo para funcionário público, a decisão de contratar um crédito nunca deve ser tomada de ânimo leve. Claro que tem as suas vantagens, mas é importante estar bem ciente das contrapartidas.

Se está a pensar em contratar um crédito, saiba que ao simular no Portal do Crédito iremos analisar as suas necessidades específicas e, de acordo com o seu perfil, indicar a entidade com as melhores condições, de forma totalmente gratuita e sem compromisso.

Artigos relacionados

Se tiver alguma dúvida ou questão, fale connosco pelo Messenger
Viviane Soares
Viviane Soares é redatora e editora, com mais de três anos de experiência na escrita de artigos de finanças pessoais. No Portal do Crédito, tem como principal objetivo disponibilizar a melhor informação sobre financiamento, de forma prática e acessível.