Crédito Pessoal

Crédito para obras: opções de financiamento à disposição

crédito para obras

Se precisa de um crédito para obras, seja para redecorar a casa, mudar o soalho, dar uma nova cor às paredes ou mesmo para uma reabilitação mais profunda, há opções de financiamento no mercado adequadas a esta necessidade.

Ainda assim, e antes de recorrer a qualquer uma delas, pondere se precisa mesmo de recorrer a um crédito para obras, pelo menos neste momento. Precisa de fazer as obras agora? Será que pode aguardar algum tempo e juntar dinheiro para reduzir o montante a contratar? E o seu orçamento familiar, será que suporta mais esta prestação mensal?

Dito isto, verifique, em primeiro lugar, quais as obras que são realmente necessárias e faça um orçamento, sobretudo para determinar qual o montante que terá de contratar. Outro aspeto a considerar para analisar os custos globais do empréstimo é o prazo em que pretende pagar o empréstimo e quais as taxas de juro que serão indexadas.

Crédito para obras: quais as opções de financiamento disponíveis?

Para contratar um crédito para obras poderá recorrer a um crédito hipotecário ou a um crédito pessoal. Com a primeira opção poderá obter taxas mais baixas e prazos mais longos, apesar da burocracia e dos custos processuais que o processo envolve. Se não estiver disposto a fazer uma hipoteca, pode sempre recorrer à segunda opção – que exclui a necessidade da hipoteca, apesar de as taxas de juro serem, por norma, mais altas. Mas vamos por partes.

Crédito hipotecário

Esta solução de financiamento consiste em fazer uma hipoteca sobre a sua casa (ou a um bem equiparado) para, assim, pedir liquidez adicional. Trata-se, no fundo, de uma garantia de pagamento do empréstimo contraído.

Tenha em atenção, contudo, que um crédito hipotecário só compensará se o montante a contratar for elevado e os prazos de pagamento longos. Neste caso, o período de carência de capital permitido por alguns bancos faz com que as primeiras prestações sejam apenas para pagamento dos juros e não para amortização da dívida.

Se já tiver um crédito à habitação, fale primeiro com o seu gestor de conta antes de contrair um crédito para obras. O valor da garantia poderá permitir-lhe solicitar um crédito adicional – associado ao da habitação -, em vez de suportar os custos associados a um novo empréstimo.

Vantagens

  • Taxas de juro baixas
  • Prestação mensal mais reduzida, uma vez que o prazo de pagamento é mais longo

Desvantagens

  • Muita burocracia
  • Custos processuais (associados à abertura do processo de crédito e aos custos notariais e de registo relacionados com a hipoteca do imóvel)
  • Eventual revisão do spread do seu crédito habitação (se se aplicar)
  • Contratação de outros produtos financeiros. Em alguns bancos – e no caso de não ter um crédito habitação -, poderá ser necessário contratar um seguro de vida ou um seguro multirriscos para ver aprovado o crédito hipotecário

crédito habitação

Crédito pessoal

Já esta opção de financiamento será, eventualmente, a melhor solução para obras mais pequenas, cujo valor não ultrapasse os 10 mil euros ou mesmo prazos de pagamento de até cinco anos. Assim sendo, é de sublinhar que os prazos e valores máximos de financiamento são bastante inferiores aos do crédito hipotecário.

Vantagens

  • Menos burocrático do que o crédito hipotecário
  • Prazos de aprovação variam entre as 24 e 48 horas
  • Pode ser solicitado online

Desvantagens

  • Taxas de juro mais altas
  • Prazos de pagamento mais curtos em relação ao hipotecário

No que toca ao crédito pessoal, analise todas as ofertas de mercado para, assim, escolher o crédito que mais se adapta às suas necessidades e, claro, que lhe ofereça as melhores condições.

O nosso simulador visa identificar a entidade com as melhores condições de crédito pessoal para si, de acordo com as suas necessidades e características do seu perfil. Tem acesso, em tempo real, às taxas de juro e condições das várias entidades de financiamento em Portugal.

Quer fazer um crédito para obras, mas já tem vários créditos?

Se já suporta as prestações mensais de vários créditos – habitação, automóvel, cartões de crédito, por exemplo – e tem receio de, ao contratar mais um crédito, correr o risco de uma situação de sobreendividamento, aconselhamos a explorar a alternativa da consolidação de créditos, por forma a obter uma liquidez extra. Isto porque ao juntar créditos poderá ver reduzido o valor das suas prestações mensais.

Artigos relacionados

[adinserter block="2"]
Viviane Soares
Viviane Soares é redatora e editora, com mais de três anos de experiência na escrita de artigos de finanças pessoais. No Portal do Crédito, tem como principal objetivo disponibilizar a melhor informação sobre financiamento, de forma prática e acessível.