Crédito Habitação

5 dicas para baixar o spread do crédito habitação

baixar spread
: o Portal do Crédito não publica artigos patrocinados. O nosso conteúdo é independente e não favorece nenhuma entidade em particular.

Ao contrário do que acontecia há alguns anos, as propostas de spread das instituições financeiras em Portugal estão cada vez mais competitivas, razão pela qual talvez seja este o momento certo para negociar os custos do seu crédito habitação.


Comparador de Crédito

Simule sem compromissos e conheça a melhor solução de crédito para o seu pedido.

SIMULAR AGORA

fSe, no caso do spread, o valor que paga é superior a 2%, saiba que pode poupar muito dinheiro se negociar este valor com o seu banco. Apesar de poucas pessoas o saberem, é possível baixar o spread do crédito habitação com alguma facilidade. Aliás, não só é possível, como é absolutamente recomendável. Porém, há ainda outras condições a que deve estar atento. Mas vamos por partes.

O que é e como baixar o spread

De acordo com o Banco de Portugal, o spread é “uma componente da taxa de juro, definida pelo banco, contrato a contrato, quando concede um empréstimo”. Por outras palavras, é a margem de lucro das instituições financeiras.

Por norma, o spread é aplicado ao crédito habitação e ao crédito pessoal. No momento de contratar um crédito habitação – ou mesmo que já tenha contraído um – recomendamos que faça uma prospecção de mercado e contacte vários bancos, para, assim, usufruir da melhor oferta possível. Deve comparar não só o spread, mas também todos os outros custos associados ao empréstimo.

A este propósito, e como forma de ajudar os clientes a compararem as diferentes ofertas das instituições financeiras, o Banco de Portugal obriga os bancos a publicarem a TAER – Taxa Anual Efetiva Revista (equivalente à TAE – Taxa Anual Efetiva – mais extras) – a taxa de juro que tem os extras já incluídos, como é o caso, por exemplo, dos seguros, das comissões e de qualquer outro serviço extra associados ao crédito.

Ou seja, o que pretendemos dizer, e que, no fundo, está implícito neste requisito exigido pelo legislador, é que baixar o spread não é garantia de um crédito à habitação mais barato. E por que razão?

A importância da TAER

Antes de assinar qualquer contrato de crédito, os bancos são obrigados a entregar ao cliente a Ficha de Informação Normalizada (FIN), na qual deve constar o spread, mas também a TAE e a TAER. Recorde-se que a TAE é o valor do spread que reflete os encargos/comissões e impostos.

É de salientar que os bancos que oferecem os spreads mais competitivos são também aqueles que exigem a obrigatoriedade da compra de vários produtos, como por exemplo cartões de crédito, seguros de saúde, seguros de vida ou PPR. Some todos estes valores por forma a perceber se compensa mesmo ter um spread mais baixo.

Estes extras, no caso de aceitar estes produtos adicionais, têm de estar na FIN, expressos na TAER. Ao abrigo do Decreto-Lei nº 192/2009 é obrigatório a TAER constar nas simulações de crédito habitação sempre que exista a necessidade de subscrever produtos bancários para baixar o spread.

Ou seja, a TAER reflete o custo efetivo do crédito habitação sempre que são exigidas contrapartidas pelos bancos. Dito isto, o que tem mesmo de comparar entre bancos é, antes do spread, a TAE e a TAER, com o mesmo valor e prazo e Euribor.

baixar spread do credito habitacao

Se está a pensar pedir financiamento para comprar casa, fique a conhecer todos os documentos necessários para crédito habitação.

O que faz variar o spread?

Ao conceder o crédito, a instituição financeira assume um risco e quanto maior for esse risco, maior será a percentagem de spread. Assim sendo, os fatores que fazem variar o spread são:

  • O historial de crédito de quem contrai o empréstimo;
  • A relação entre o montante a emprestar e o valor das garantias dadas em contrapartida;
  • A compra de produtos adicionais.

5 formas de baixar o spread do crédito habitação

1. Falar com o seu gestor de conta

O primeiro passo para baixar o spread é, sem dúvida alguma, contactar o seu gestor bancário, de forma a que, em conjunto, possam analisar um valor de spread mais competitivo. Se tiver um historial de cliente cumpridor ou se for um cliente antigo do banco, terá, com toda a certeza, mais hipóteses de renegociar o spread com sucesso.

Ainda assim, importa sublinhar: antes de falar com o banco, faça simulações online e muna-se de toda a informação necessária para perceber o que é que os outros bancos estão, efetivamente, a oferecer.

Através do nosso simulador de crédito poderá comparar todas as opções disponíveis no mercado, de forma totalmente gratuita e sem compromisso.

2. Dar entrada avultada ou amortização

Outra opção para baixar o spread passa simplesmente por dar uma boa entrada aquando da contratação do crédito, pois aumentará a confiança do banco na sua saúde financeira.

Se já contraiu o crédito, pode contactar o seu gestor bancário para verificar a possibilidade de amortizar um valor parcial da casa para, assim, poder baixar o spread. Tenha atenção, todavia, se terá de pagar uma comissão de reembolso por amortização antecipada. Se não compensar, não coloque sequer esta hipótese.

3. Subscrever produtos adicionais

A domiciliação de ordenado ou a compra de produtos adicionais (PPR, seguros de saúde, cartão de crédito) também podem ser boas opções para baixar o spread do empréstimo. No entanto, e tal como referimos anteriormente, tenha em mente que o objetivo é baixar a prestação da sua casa. Ou seja, analise cuidadosamente se as taxas de juros associadas aos produtos que lhe estão a oferecer para baixar o spread compensam o esforço.

4. Optar por comprar imóveis de banco

Sabia que os imóveis vendidos pelo banco têm, por norma, um spread bastante mais baixo e bonificações especiais? Se está a pensar comprar casa, informe-se junto do seu gestor bancário sobre este assunto.

5. Transferir o crédito habitação

Esta é outra das opções a ter em conta para negociar o spread do seu crédito. Embora lhe possa ser cobrada uma comissão de amortização antecipada, é importante que saiba que muitos bancos já cobrem o valor associado à transferência do crédito.

Pesquise e não descure as simulações. Apesar do esforço, estará não só a poupar o dinheiro que lhe custa tanto a ganhar, mas também a garantir a sua estabilidade financeira, sobretudo se começa a sentir que não sai da zona de risco por mais que corte no orçamento.

Todos os meses analisamos as taxas e condições dos vários bancos e revelamos o melhor crédito habitação. Não deixe de ler a nossa análise.

Artigos relacionados

Se tiver alguma dúvida ou questão, fale connosco pelo Messenger
Viviane Soares
Viviane Soares é redatora e editora, com mais de três anos de experiência na escrita de artigos de finanças pessoais. No Portal do Crédito, tem como principal objetivo disponibilizar a melhor informação sobre financiamento, de forma prática e acessível.