Guia do Crédito

5 consequências de deixar de pagar os empréstimos

consequências de deixar de pagar os empréstimos
: o Portal do Crédito não publica artigos patrocinados. O nosso conteúdo é independente e não favorece nenhuma entidade em particular.

As consequências de deixar de pagar os empréstimos que contraiu são, obviamente, gravosas e, a médio e longo prazo, podem trazer-lhe muitos dissabores. Mais vale apertar o cinto do que incorrer, nem que seja por um par de meses, em incumprimento.


Comparador de Crédito

Simule sem compromissos e conheça a melhor solução de crédito para o seu pedido.

SIMULAR AGORA

Isto porque os custos reais de deixar de pagar as suas dívidas podem tornar-se insuportáveis para o seu orçamento, uma vez que ser-lhe-ão exigidas não só as prestações em falta, mas também os juros de mora e as comissões relativas ao atraso do pagamento. E se esta situação se prolongar no tempo, pode vir a aniquilar qualquer possibilidade de recuperação da sua estabilidade financeira. Saiba, então, o que acontece se deixar de cumprir os seus deveres para com os credores.

Estas são as consequências de deixar de pagar os empréstimos

1. Ficar com o “nome sujo” na lista negra do Banco de Portugal

A lista negra do Banco de Portugal  – ou Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) – é uma base de dados na qual constam todas as pessoas e empresas que tenham um qualquer empréstimo superior a 50 euros. Independentemente de ter ou não qualquer pagamento em atraso, o seu nome consta desta lista.

Porém, e como as instituições bancárias têm de enviar mensalmente informação sobre os seus clientes ao Banco de Portugal, se deixar de pagar as suas obrigações ao banco, nem que seja por um único mês, ficará com o seu “nome sujo”, isto é, ficará registado no seu Mapa de Responsabilidades de Crédito que se encontra em situação de incumprimento e que é um cliente de risco.

Mas, o que implica afinal ter o seu “nome sujo”? A resposta é simples: a impossibilidade de concessão de um novo crédito por parte de qualquer entidade bancária, além de ficar registado no seu historial a falta de compromisso para com o credor.

2. Ter dificuldade em encontrar emprego

Ter o nome na lista negra do Banco de Portugal é apenas o início de um processo danoso para o seu dia-a-dia e para a sua vida em geral. Isto porque este registo de incumprimento pode dificultar, inclusivamente, o acesso a emprego, uma vez que alguns empregadores podem pedir para ver o seu historial de crédito. Se estiver a candidatar-se a uma vaga de trabalho numa área financeira, o mais certo mesmo é ser excluído.

analisar finanças pessoais

3. Ser alvo de procedimentos legais

Outra das consequências de deixar de pagar os empréstimos, e que se pode tornar uma verdadeira dor de cabeça, são os procedimentos executivos que o credor lhe pode aplicar. Isto é, pode entrar com uma ação judicial contra si, por forma a ser ressarcido do seu investimento.

Por essa razão, caso comece a verificar que está com dificuldades em pagar a prestação mensal, é preferível tentar renegociar a dívida, seja através de um crédito consolidado ou mesmo da negociação de um novo plano de pagamentos com prolongamento do prazo de amortização.

Dica: simule a possibilidade de crédito consolidado e descubra qual é a oferta mais adequada ao seu caso.

Se não o fizer, prepare-se para, logo no final do primeiro mês, receber uma notificação legal a informar que se encontram valores vencidos que devem ser liquidados. Recordamos que quando proceder ao pagamento das prestações em atraso, além das comissões associadas, vão ser também cobrados os juros de mora.

4. Ver o salário penhorado

Se o credor tiver dado entrada à tal ação judicial e o processo já estiver a decorrer em tribunal, pode correr o risco de ser ordenada a penhora da totalidade ou de parte do seu vencimento, sendo que esta penhora decorrerá até a dívida ser saldada. Além disso, pode também ser penhorada a sua conta bancária.

5. Perder a casa

Numa situação limite, perder a casa pode ser outra das consequências de deixar de pagar os empréstimos. Se a situação de incumprimento for relativa a um crédito habitação, a pior das consequências é a entrega do imóvel ao banco.

Portanto, antes de contrair um crédito pondere se tem mesmo capacidade financeira para o fazer. Analise devidamente a sua taxa de esforço e o impacto que essa prestação mensal terá no seu orçamento.

Artigos relacionados

Se tiver alguma dúvida ou questão, fale connosco pelo Messenger