VoltarTodos os artigos
João Fins
Revisto por João Fins
João Fins

Licenciado em Economia e com experiência em finanças pessoais. Como redator no Portal do Crédito, tenho a missão de ajudar esclarecer as dúvidas mais comuns dos nossos leitores, no que aos diferentes tipos de crédito diz respeito.

Crédito Pessoal para Desempregados: Como e Onde Obter?

Crédito Pessoal Para Desempregados

Apesar de em 2022 a taxa de desemprego se encontrar abaixo dos 6%, existem milhares de pessoas em situação de alta vulnerabilidade.

Está desempregado e precisa de crédito para abrir negócio ou para fazer face os seus encargos mensais?

Seja qual for a finalidade, neste artigo vamos-lhe dizer se um crédito pessoal para desempregados é uma realidade, onde o conseguir e que alternativas poderá ter em consideração.

A resposta depende da finalidade!

Nenhuma entidade financeira certificada pelo Banco de Portugal (consulte lista) disponibiliza crédito pessoal para desempregados fazerem face aos seus encargos mensais.

Isto acontece, pois o risco do empréstimo de quem não tem rendimentos como garantia é demasiado alto para compensar o risco para as financeiras.

Porém, se está desempregado e procura crédito para abrir o seu próprio negócio, saiba que existe o Programa Nacional de Microcrédito.

Portal Do Crédito

Por forma a facilitar os desempregados, jovens que estejam à procura do primeiro emprego ou mesmo trabalhadores independentes que tenham rendimentos baixos, existem 2 linhas de créditos que os podem ajudar a criar o seu próprio negócio.

  • Linha MicroInvest
  • Linha Invest+

Concedido pelas entidades financeiras, esta linha de crédito fornece taxas de juro e garantias mais simpáticas — para quem tenha dificuldades de acesso ao mercado de trabalho.

Montante Investimento Até 20.000 €
Montante Financiamento Até 20.000 €
Prazo 5 Anos
Carência de Capital 2 Anos
Taxas de Juro Euribor a 30 dias + spread de 2,5%
Comissão Garantia 0.75%
Garantia Mútua 100% do capital em dívida

Nota: as taxas de juro no 1.º ano são integralmente bonificadas. Já nos 2.º e 3.º anos são bonificadas parcialmente pelo IEFP.

Já esta linha de crédito é dirigida para projetos de maior valor de investimento, pelo que o montante financiamento sobe até aos 100.000 €.

Montante Investimento 20.001 € – 200.000 €
Montante Financiamento Até 100.000 €
Prazo 5 Anos
Carência de Capital 2 Anos
Taxas de Juro Euribor a 30 dias + spread de 2,5%
Comissão Garantia 2.5%
Garantia Mútua 75% do capital em dívida

Nota: as taxas de juro no 1.º ano são integralmente bonificadas. Já nos 2.º e 3.º anos são bonificadas parcialmente pelo IEFP.

Terão de se enquadrar numa das seguintes opções:

  • Desempregados inscritos há 9 meses ou menos, em situação de desemprego involuntário, ou desempregado inscrito há mais de 9 meses, independentemente do motivo da inscrição;
  • Jovens com idade compreendida entre os 18 e os 35 anos à procura do primeiro emprego;
  • Nunca tenham exercido atividade profissional por conta de outrem ou por conta própria.

Existem diversos requisitos (ler aqui), porém destacamos os seguintes:

  • Pelo menos metade dos promotores têm de, cumulativamente, ser destinatários do programa, criar o respetivo posto de trabalho a tempo inteiro e possuir conjuntamente mais de 50% do capital social e dos direitos de voto;
  • O projeto deve apresentar viabilidade financeira;
  • Não pode ter uma dimensão inicial superior a 10 postos de trabalho;
  • Não pode ter um investimento superior a 200.000 €.

Para aceder a estas linhas de crédito para desempregados terá de entrar em contacto com as entidades que sejam subscritoras desta linha:

  • Caixa Geral de Depósitos
  • Novo Banco
  • Caixa Agrícola
  • BPI
  • Millenium bcp
  • Banco Popular Portugal
  • BIC
  • Montepio

Caso esteja interessado em fazer a sua candidatura clique aqui!

Como podemos observar, existem algumas alternativas para quem está desempregado e procura financiamento para criar o seu próprio negócio.

Contudo, a realidade é que muitas pessoas desempregadas (e não só), precisam de liquidez para conseguir a curto médio prazo pagar as despesas mensais até conseguir arranjar alguma fonte de rendimento.

Em outubro de 2021 o endividamento particular em Portugal era de 147.030 € milhões de euros.

Se está nesta situação, arranjar crédito é praticamente impossível, porém existem alternativas para conseguir ter um alívio nos seus encargos.

É do interesse de ambas as partes (credor e cliente) que situações de incumprimento não aconteçam.

Desta forma, se está com algumas dificuldades financeiras, entre em contacto com o seu gestor de conta e tente negociar a dívida do seu crédito habitação, obras, pessoal ou outro qualquer empréstimo.

Seja através de uma melhoria das suas taxas de juro, prolongamento do prazo de pagamento ou mesmo um período de carência de pagamento.

❗️ Não perde nada em tentar!

Um crédito consolidado permite juntar todas as suas dívidas num só pagamento mais alongado no tempo, até a um máximo de 120 meses.

Ou seja, irá conseguir pagar menos mensalmente e consequentemente ganhar o folgo orçamental que tanto procura.

Se pretende saber mais sobre esta tipologia de crédito, leia o nosso artigo sobre Créditos Consolidados!

Porém, um crédito nestes contornos só terá possibilidades de ser aprovado pelas entidades financeiras caso pelo menos um membro do agregado familiar esteja empregado.


Portal Do Crédito

Consiga o Melhor Crédito!

Avaliação Grátis 100% Online Sem Compromisso

RECOMENDADO

Simular Já

Uma das alternativas ao crédito é o recurso a familiares e amigos. Pedir dinheiro emprestado a conhecidos é sempre uma situação difícil, mas se as suas finanças pessoais se encontram numa situação complicada, pondere esta solução.

Para que o processo ganhe contornos formais, assine um contrato simples, no qual reconheça a dívida e em quanto tempo pretende pagar o montante solicitado.

Caso amigos e familiares não seja opção, pode sempre tentar uma solução não ideal – procurar um crédito a entidades que não estão certificadas pelo Banco de Portugal.

Os juros a cobrar num crédito entre particulares são decididos entre as partes e, em situação de incumprimento, o credor pode cancelar o empréstimo a qualquer momento, exigindo juros de mora ou mesmo recorrendo a instâncias judiciais para reaver o seu capital.

Porém, uma parte dos créditos entre particulares não passam de esquemas fraudulentos. Aconselhamos cautela na contratação destes empréstimos!

Todas as condições acordadas devem ficar devidamente registadas no contrato e as assinaturas devem ser reconhecidas por um notário ou solicitador.

Estar desempregado nunca é uma situação fácil, e requer um esforço financeiro elevado.

Para complicar ainda mais as contas, pedir um crédito pessoal para desempregados é algo bastante complicado de se conseguir.

Sendo que por meio de entidades financeiras certificadas pelo banco de Portugal é mesmo impossível.

Assim, se está com uma alta taxa de esforço mensal (calcular aqui a sua), e as alternativas ao crédito para desempregados que indicamos não são viáveis, então aconselhamos:

  • Analisar uma possível alteração na tarifa da luz;
  • Rever os seus seguros. Por vezes poderá estar a pagar por coberturas que não lhe compensam.

Contudo, se o seu objetivo é financiamento para criar negócios, em Portugal existem apoios e programas que o podem ajudar com linhas de crédito com bastantes bonificações.

Logo, se o seu projeto for viável, não deverá ter grandes problemas em obter o seu crédito aprovado.

Porém, solicite apenas o dinheiro que precise – não vai querer pagar juros desnecessariamente.