Crédito Pessoal

Crédito pessoal com juros baixos ou mensalidade baixa? Veja as diferenças

crédito pessoal com juros baixos
: o Portal do Crédito não publica artigos patrocinados. O nosso conteúdo é independente e não favorece nenhuma entidade em particular.

À procura de um crédito pessoal com juros baixos? Seja para obras em casa, eletrodomésticos, férias, despesas inesperadas, seja, simplesmente, para comprar automóvel, recorrer ao crédito pessoal é uma prática bastante comum nos dias que correm.


Comparador de Crédito

Simule sem compromissos e conheça a melhor solução de crédito para o seu pedido.

SIMULAR AGORA

A rapidez e a facilidade com que se pode obter um crédito pessoal – também pela possibilidade de ser solicitado online – são vantagens bastante atrativas quando se precisa de um extra para a aquisição de bens e serviços ou para gerir as finanças pessoais.

No entanto, no momento de contratar este tipo de crédito, há cuidados que não deve mesmo descurar. Por exemplo, não caia na armadilha de contratar um crédito que lhe vende uma prestação mensal baixa a pensar que se trata de um crédito barato.

A solução mais barata será sempre o crédito pessoal com juros baixos e não aquele com a mensalidade mais baixa. E já explicamos porquê.

Crédito pessoal com juros baixos vs Crédito pessoal com mensalidade baixa

calcular crédito

Por definição, e no que toca ao crédito, o juro é uma remuneração cobrada pelas instituições financeiras pelo empréstimo de uma determinada quantia de dinheiro. Por outras palavras, a taxa de juro é o valor que o banco vai lucrar pelo dinheiro que lhe empresta.

Esta mesma taxa varia de instituição para instituição, consoante as características do crédito solicitado. Porém, importa saber a este propósito que o crédito pessoal está legislado pelo regime do crédito ao consumo, razão pela qual as taxas a aplicar – nomeadamente a Taxa Anual Efetiva Global (TAEG) – têm tetos máximos.

Para comparar propostas de crédito deverá estar especialmente atento à TAEG e ao Montante Total Imputado ao Consumidor (MTIC). Isto é, para conseguir o crédito mais barato, estes são, definitivamente, os indicadores a analisar.

Não caia, por isso, na tentação de avaliar propostas pelo valor da mensalidade – exceto se o que procurar for exatamente isso, pagar menos por mês mesmo se o crédito lhe ficar mais caro. Procure um crédito pessoal com juros baixos.

Simulação de crédito pessoal

Fizemos uma pesquisa de mercado para exemplificar isto mesmo. Os parâmetros da nossa simulação fazem referência a um montante de 10.000 euros, com taxa fixa e com um prazo de pagamento de 60 meses.

BancoValor do créditoTAEG Prestação mensalPrazo de pagamentoMTIC
BPI10.000€13,60%189.55€60 meses15.209,43€
Santander Totta10.000€13,0%210,92€60 meses13.266,20€
Banco CTT10.000€11,30%224,76€60 meses12.890,40€
Montepio10.000€13,20%230,40€60 meses14.515,67€
CGD10.000€10,0%194,13€60 meses12 538,29€
Millenium BCP10.000€12,4%203,80€60 meses13.104,60€
Novo Banco10.000€10,5%202,73€60 meses12.625,83€

De acordo com os dados apresentados, e se fizer a comparação das diferentes propostas tendo apenas em consideração a prestação mensal mais baixa, a oferta de crédito pessoal do BPI seria, sem dúvida alguma, o crédito mais barato.

Ora, nada podia estar mais longe da verdade. Como pode verificar, é o crédito com o valor total mais caro, apesar de ter a mensalidade mais baixa.

Aquele que é efetivamente mais barato é o crédito pessoal com juros baixos – isto é, o da Caixa Geral de Depósitos, que apresenta uma TAEG de 10% e o MTIC de 12.538,29€.

Importa, ainda assim, frisar que os cuidados a ter num processo de crédito, seja ele qual for, não se limitam à comparação das taxas de juro.

Precisa de conhecer todos os custos que costumam estar associados, nomeadamente comissões de análise, comissões de gestão e eventuais seguros que possam ser exigidos. Leia, por isso, com muita atenção a Ficha de Informação Normalizada que o banco é obrigado por lei a dar-lhe.

Todos os meses, analisamos as condições oferecidas pelas várias instituições financeiras e entidades bancárias e revelamos o melhor crédito pessoal. Confira o nosso artigo.

Crédito pessoal com juros baixos: quais os custos incluídos na TAEG?

Como vimos, as melhores condições para subscrever um crédito pessoal são definidas pela taxa de juro, que deve ser baixa. Ou seja, deve optar por um crédito pessoal com juros baixos.

Importa recordar que a TAEG engloba todos os encargos associados ao empréstimo. Portanto, é fundamental que identifique a mais vantajosa do mercado para o valor que irá contratar, bem como para o prazo de pagamento.

Custos incluídos na TAEG

  • Juros;
  • Comissões;
  • Impostos;
  • Seguros obrigatórios para o pedido de crédito;
  • Comissões de manutenção de contas bancárias;
  • Outras despesas associadas ao contrato de crédito.

Custos não incluídos na TAEG

  • Valores a pagar caso o cliente entre em incumprimento das obrigações previstas no contrato;
  • Comissões de reembolso antecipado do crédito;
  • Custos do notário.

Cuidados a ter na comparação de propostas de crédito

Antes de contratar um crédito pessoal, a primeira coisa que deve fazer é uma pesquisa exaustiva de mercado. Ou seja, não subestime a importância das simulações na escolha de um crédito pessoal com juros baixos.

Para não andar a navegar por diversos simuladores, propomos-lhe que recorra ao simulador do Portal do Crédito, que visa identificar a entidade com as melhores condições de crédito pessoal para si, de acordo com as suas necessidades e características do seu perfil. Tem acesso, em tempo real, às taxas de juro e condições das várias entidades de financiamento em Portugal.

Além disso, certifique-se de que tem garantias para assegurar a taxa de esforço. As boas práticas indicam que a taxa de esforço simples não deverá ser superior a 30%, sendo que alguns bancos podem aceitar perfis até 40%. Analise devidamente o seu caso em particular, tendo em consideração todas as despesas mensais que tem ao seu cargo.

Recordamos que um pedido de financiamento – neste caso, um crédito pessoal com juros baixos – é uma decisão que deve ser ponderada e tomada em consciência. O acesso rápido e fácil a este tipo de empréstimo pode resvalar rapidamente para a acumulação de créditos, colocando em risco as suas finanças pessoais.

Artigos relacionados

Se tiver alguma dúvida ou questão, fale connosco pelo Messenger
Viviane Soares
Viviane Soares é redatora e editora, com mais de três anos de experiência na escrita de artigos de finanças pessoais. No Portal do Crédito, tem como principal objetivo disponibilizar a melhor informação sobre financiamento, de forma prática e acessível.